sábado, 11 de setembro de 2010

Covarde! Ainda bem! (Sem Saida)

-




Eu já pensei em suicídio!

Não me envergonho disso, talvez minha vaidade seja tão grande que a idéia de ter o controle total da minha vida e morte é no mínimo tentador.
Mas eu não acredito que quando pensava em tirar minha própria vida era por vaidade e sim pela falta dela, é bem confuso, mas confusão é o que não falta num momento como este.

Quando os problemas são tantos que você não vê saída, não tem perspectiva de melhora, as coisas literalmente estão na merda, o fundo do poço é algo invejável nessa hora, porque você está mais fundo ainda, as coisas te levam cada vez mais para o buraco, vocês devem saber que desgraça nunca vem sozinha. As dividas te afogam os relacionamentos não te agradam, ou pior, a falta de relacionamentos te consome, o álcool não te traz mais barato nenhum, você vive no barato vinte quatro horas por dia e isso se torna normal para você. Sem saída.

É tudo escuro, é tudo um saco, você não sorri mais, o tédio se alojou em sua pele como cheiro de peixe nas mãos, tudo que você achava graça se perde no tempo, você não quer mais fazer aquilo.
Você não quer acordar, você não quer trabalhar, não quer respirar, não canta mais, não assovia, não come, toda comida parece ter o mesmo gosto. Você não sai na rua com medo das pessoas te reconhecerem como um suicida, apontando o dedo para você e julgando... “Olha lá o suicida ó, xiii esse já era”. Você não conversa mais, pois, tudo que sai de sua boca é lamentação, e você não quer levar ninguém para o buraco com você, toda palavra que dirigem à você para apoiá-lo te derrubam mais ainda, você sente pena de si mesmo. Pena de você mesmo. E é aí que o problema começa.

Sua autopiedade fala alto, muito alto, ela grita histérica na sua cabeça que já esta explodindo, e cabeça explodindo te leva a ter idéias, cabeça explodindo junto com desespero te leva a pensar em comprar uma arma. A sua autopiedade te leva a pensar em acabar com seu próprio sofrimento, assim, como uma eutanásia. Um autoaborto sem útero, sem cordão umbilical.
Você se sente um lixo, a raspa do tacho, um verme, pior, uma lesma rastejante, você está ultrapassado, sem saída, sem entrada, sem chão, sem teto, é a discórdia em pessoa, você não pensa em tirar sua vida só pela sua infelicidade, você pensa em morrer para parar de atrapalhar as pessoas que estão em sua volta, veja como você perdeu grande parte do seu egoísmo, ninguém está pensando em você, nem Deus, nem o diabo, mas você está pensando em todos.

Todas as musicas que tocam nas rádios ajudam a piorar ainda mais sua situação, todas elas falam de amor e tristeza e isso é a ultima coisa em que quer pensar. Desliga o radio e liga a televisão e esta passando Gost- do outro lado da vida. Com isso você já teve a certeza que o melhor a fazer é morrer mesmo, mas uma arma faz muito barulho, quem sabe o gás da cozinha?! Se você ingeri-lo em grande quantidade será rápido e indolor, e ainda não faz sujeira, porém o perigo da explosão te leva a desistir.

Pensa então em pílulas, várias pílulas vão dar um jeito nisso, mas chega à conclusão que pode falhar, é um plano falho, e se falhar você vai ser julgado mais ainda num leito de hospital, pois, as pessoas terão dó e você não quer que tenham dó. Com isso fará as pessoas ao seu lado sofrerem mais. Pronto desiste das pílulas. Não é uma boa idéia, pensa em outras coisas. Sem saída.
Só que aquela voz na sua cabeça não desiste de te incentivar, “vamos lá você consegue”. Como um sussurro, “você não está sozinho nessa”. É sua única companhia e você pensa em fazer, pois sua única companhia está te ajudando.
Outra idéia. Veneno, para rato, para barata, qualquer coisa. “Vamos lá!”.
Veneno é muito clichê, quer morrer em grande estilo, afinal, quer que as pessoas te notem, é isso que está faltando, certo?! Atenção, veneno não é boa idéia. Levando isso em consideração pensa em pular de um prédio, de uma ponte, pular no trilho do trem ou do metrô, isso sim iria chamar atenção.
Quem nunca chegou na beira do trilho, olhou para baixo e pensou, por que não? Fica cronometrando o tempo, como um físico e pensa no melhor momento para que não dê tempo do trem parar e não terminar o serviço. Sem saída.

Pronto, achou a saída perfeita, a morte já esta ao seu lado, preparando sua viagem, aquela voz já está eufórica na sua cabeça e é quando você vê que não tem coragem para isso. É um covarde, literalmente um cuzão. Não tem o controle de sua vida, quanto mais de sua morte. Agora sim pode dizer que está no buraco mais fundo, pois, o que estava te dando forças para continuar, a única coisa que você tinha era o “Plano Mortal”, mas acabou, tiraram-lhe até isso. Perdeu tanto tempo bolando um plano que agora o mundo completou seu ciclo, a tempestade passou, o sol esta saindo de trás das nuvens, os pássaros já acordaram e começaram a cantar, e você começa acompanhar seu canto assoviando. Opa, as coisas estão melhorando, aquelas dores no corpo, na cabeça, se foram, a voz agora ficou muda. Uma garota te sorri ao passar por você e você devolve o sorriso, começou uma amizade.
Aquele amigo de infância te liga e convida-o para uma festa dizendo:-Se você não vier eu vou te buscar à força. 
Veja, esta se sentindo querido de novo. Mais um raio de sol ultrapassou sua janela.


Você ganha um bônus no trabalho, um dinheiro que não estava esperando, compras, roupas novas, um presente para si mesmo sempre ajuda. Já esta contando piadas e fazendo graça com seus defeitos, viu?! Melhorou. Olha a saída lá, esta vendo? Ali ó, é só seguir em frente, vire a direita naquele poste, está vendo aquela menina linda parada olhando o relógio? Ela está te esperando, lembra que marcou um cinema? Vai lá, corre que está atrasado, você não quer deixá-la esperando por muito tempo, não é?! Boa sorte, aproveite bastante, afinal, o mundo está sempre girando.

Cuide-se bem.

Bento.

Vou te encontrar
Vestida de cetim
Mas em qualquer lugar
Espera só por mim
E no teu beijo provar um gosto estranho
Que eu quero e não desejo
Mas tenho que encontrar, ah
Vem, mas demore à chegar
Eu te detesto e amo morte, morte, morte que talvez
Seja o segredo dessa vida...”-Raul Seixas.





-

2 comentários:

Loirinha ;* disse...

Vou falar o que?
Que eu adorei, isso já está virando rotina já ... rsrs
Você sabe escrever sobre tudo sem parecer leigo.=D

Textos que, sinceramente, tocam e fazem muitas vezes me identificar =D

Victor Von Serran disse...

Eu ia me matar se não tivesse lido isso...

abraço e obrigado pelo espaço.....vai lá no blogosfera do face e divulga seus otimos trabalhos !

Valeu Bento