quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Tristeza, por favor vá embora... Mas volte.

-

Vejo as pessoas buscando a felicidade eterna.


Isso de fato seria tedioso.

Imagine um mundo perfeito, sem crises de ciúmes, sem estresse no trânsito, sem estresse no trabalho, sem ter que escolher entre uma coisa ou outra, poder ter tudo.

Relacionamentos perfeitos, trabalhos perfeitos, tudo perfeito.

Uma vez li algo do Paulo Coelho que era mais ou menos assim: Um homem morre, e se depara com outro homem vestido totalmente de branco, o de branco oferece ao outro o que ele quiser, claro que ele pede mulheres, bebidas, festas, ou seja, só coisas agradáveis.

Depois de muito tempo fazendo só isso ele fica entediado e pede ao homem de branco um trabalho.

O homem de branco diz não ter trabalho nenhum naquele lugar, então ele pergunta o que irá fazer no céu para passar o tempo? E o Homem de branco responde:- Quem disse que isso aqui é o céu?!

A tristeza é tão fundamental quanto a felicidade, você só dá valor ao que é bom depois de provar o que é ruim. Se você nunca souber o que é sofrimento, jamais saberá o que é felicidade.

É por isso que insisto na ideia de que bom é ser imperfeito, só os imperfeitos erram, e errar é o melhor caminho para sofrer, eu não sou nenhum sadomasoquista não gosto de sofrer, nem erro por querer, mas tenho consciência de que vou errar e com os erros virá o sofrimento e a tristeza e que isso me fará buscar a felicidade, e que quando alcançá-la darei muito mais valor a ela do que aqueles que nunca sofreram. Portanto eu busco as “Segundas Chances”, eu quero é ter uma segunda chance para poder corrigir os meus erros. E então acertar.
 
Bento.
 
-

Um comentário:

Giu. disse...

Concordo com você!
O melhor é o recomeço, é a desculpa, a segunda chance. A reconciliação depois de uma briga, a dúvida, a ansiedade.
Nada melhor do que acordar um dia, abrir os olhos e sentir-se forte e renovado, após dias, meses, anos ou vidas de sofrimento.
Pobres aqueles que buscam a perfeição.