segunda-feira, 8 de novembro de 2010

SEM PRESSA

-

Sempre andei rápido, herança dos tempo de office boy quando queria acabar o serviço logo para jogar truco na praça.

Nos relacionamentos isso sempre foi um problema.
Sábado à noite, namorada impecável, depois de horas em frente ao espelho, incontáveis trocas de roupas e salto alto. De mãos dadas e eu andando com passos de um metro como árbitro de futebol medindo uma falta. Arma-se a cara emburrada.
Domingo à tarde, shopping, sorvete e eu andando como se houvesse um incêndio assolando algum prédio indefeso. A briga se estende até segunda-feira de noite.
Agora quando solteiro me vejo correndo ainda sem necessidade com fones de ouvido, ou um livro a tira colo.

Hoje resolvi fazer diferente. Ficaram em casa livros, fones e celular, caminhei sem pressa olhando as coisas em minha volta, colocando os pensamentos em ordem, separando por gavetas com divisórias cada um de meus sofrimentos, alegrias e planos. Dei atenção a eles há muito tempo abandonados, meus pensamentos exigiam atenção, brigavam por isso, tínhamos dores para curarmos.

Levei-os para passear no parque, deitados na grama demos às mãos.
Sentados no banco da praça sorrimos juntos e falamos sobre o futuro, planejamos viagens de reconciliação, uma segunda lua-de-mel com meus pensamentos, juntos até que a morte nos separe outra vez, e ela passou aqui em casa novamente com seu melhor vestido, seu rosto angelical para enganar as pobres almas à levar sob suas asas. Por isso estou saindo para o enterro novamente, só que dessa vez sem pressa, com o andar contido, prestando atenção na ampulheta do tempo, sem relógio, sem nada para tirar minha atenção.

Vou observando as pessoas, os casais, os grupos, a inconstância das nuvens sobre minha cabeça, o desfile do sol à fazer seu trabalho com sabedoria e calma eu tomo como exemplo.
Sem pressa.

Bento.

-

2 comentários:

Loirinha ;* disse...

Quando temos pressa não enxergamos muita coisa ao nosso redor, e muita coisa importante...

Não tenha pressa ;)

Joá Jr. disse...

Sempre tive pressa, mas hj ando com calma sem ansiedade de chegar ao destino. Esse texto foi bom bento! forte abraço