domingo, 19 de dezembro de 2010

O ERRANTE

-

Se todos fossem tão bêbados quanto eu a ponto de expor tudo que sente, se tem que beber para falar a verdade, então que todos sejamos alcoólatras do amor.
Se todos tivessem que sofrer para se tornarem românticos, então que todos sejamos sadomazoquistas da vida.
Se todos tivessem que errar para aprender a perdoar, então que sejamos a escória de nossos sentimentos.

Começar de novo, esqueçamos os nomes, esqueçamos os defeitos e as qualidades, sejamos desconhecidos.
Esqueçamos que outros corpos habitou nossos corpos e vice-versa, pois o que parece erro agora pode ser chamado de segunda chance e há pessoas que matariam por uma segunda chance em qualquer hora, lugar ou circunstância.

Escolhas? É aí que está o segredo. É bom quando escolhemos, melhor ainda é ser escolhido. Escolhido de alguém... Ter opções é ótimo, melhor do que não ter o que escolher, mas melhor de tudo é fazer a escolha certa! Isso é o mais difícil. E ainda ter que lidar com a dúvida! Mas quem julgará o certo ou errado?Aqueles que nunca erraram, pois os que já cometeram seus erros são muito mais eficientes na arte de perdoar... Os imperfeitos não julgam e são “perdoadores” incuráveis.

Ah, mas se todos fossem capazes de assumir suas imperfeições o mundo seria perfeito. Que ironia, não?!
Melhor deixar o mundo como está, vamos continuar a mentir, afinal, o mundo não é uma roda gigante que gira e gira e volta para o mesmo lugar, o mundo não é injusto, as pessoas que são idiotas a ponto de se acharem importantes demais para quererem uma segunda chance!

Todos esses imperfeitos românticos devem ser usurpados desse mundo perfeito onde só os perfeitos têm lugar ao sol! E que tal esperar, dar tempo ao tempo?
Não! Esperar é o caminho mais curto para acertar! E acertar é coisa de gente perfeita. Erramos e erramos e quanto mais erramos, mais próximos do acerto chegamos. Assim o certo se torna primogênito do sacrifício e o sacrifício são os óculos dos errantes, o colírio das retinas do errante. Mas quer saber, eu devo estar errado nisso tudo, portanto continue a levar a sua vida do jeito que está levando, afinal sua vida é perfeita, não é?

O que devemos nos questionar é o que nos faz nos aproximar de alguém? Os defeitos? As qualidades? Ou o conjunto dessas duas coisas, seriamos quem somos sem um desses itens?
Mas me disseram: - Não se erra duas vezes! Mentira! Erramos milhares de vezes, erramos muito mais do que acertamos, infelizmente...
O mais correto seria dizer: Não acertamos duas vezes! Sabe por quê? Porque quando acertamos as flores cantam, o céu se abre para nós, o sussurrar torna-se adocicado, toda palavra é melodia, quando acertamos nada mais importa, nada mais é preciso. Uma vez basta!

O que será que quando surge faz o mundo melhorar?
O que será que quando passa as flores ficam a cantar?
O que será que faz o céu se abrir e o sol vir nos saudar?
O que será? O que será?


Bento.

Com co-autoria de Salua Ribeiro e Marcelo Jr (http://juniorcrazy1311.blogspot.com).

-

Um comentário:

Thairini disse...

bento amei tudo que escreveu vc é o maximoo ! bjs thay!