segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

PERCA UM SEGUNDO, EU PERCO HORAS

-


Continue remexendo em minhas entranhas a ponto de fazer sentir-me revivendo toda a tristeza sentida outrora.
Continue esfregando em minha face mesmo que inconsciente que é tão fácil sua permanência longe de mim.
Continue fazendo de meu espírito seu prêmio como se estampado em uma foto em cima da mesa da sala como uma caça bem sucedida.
Continue tornando-me demente de remorso crendo em recuperar algo em algum lugar esquecendo de andar para frente.

Eu continuo te dizendo adeus, mas você não vai.
Tranco-me num cômodo, fecho as portas, as janelas, desligam-se os telefones e me cubro com o silêncio e tento pegar no sono em vão.
Teria eu que me isolar de mim mesmo, afastar meu peito de minha cabeça de meus braços e minhas pernas, afastar os cotovelos das dores, os fios de cabelo da luz do olhar, mas mesmo assim não adiantaria, porque estas dentro de cada centímetro de carne, debaixo de minha pele correndo por minhas veias. Falar dos pensamentos seria perda de tempo.

Faça do calor dessa sua terra nova a energia que precisa para ludibriar os obstáculos, mas pelo menos tente perder alguns segundos de seu dia ou da noite e tenha uma vaga lembrança, afinal já se foram tantos os dias e logo completará um ciclo inteiro.
Perca um segundo, eu perco horas.
E eu? Eu continuo te dizendo adeus, mas você não vai.


Bento.

-

6 comentários:

- Thais disse...

- Muito bem!

Loirinha ;* disse...

muito bom
é ruim quando queremos dar adeus, mas esse adeus não vai embora tão fácil na prática.

http://ummundoquaseparticular.blogspot.com

joa jr. disse...

Sempre gosto de ler seus textos, são impressionantes! Continue assim Bento uma grande pessoa que conheci aquele dia e se mantenha dessa forma... Não adianta dizer adeus e seu coração não. È como eu li em algum lugar "já tentei esquecer algumas pessoas, mas descobri que essas são as mais dificeis"

Mell disse...

Gostar de alguém é função do coração, mas esquecer, não. É tarefa da nossa cabecinha, que aliás é nossa em termos: tem alguma coisa lá dentro que age por conta própria, sem dar satisfação. Quem dera um esforço de conscientização resolvesse o assunto (...). " Se sou esquecido,
devo esquecer também,
Pois amor é feito espelho:
-tem que ter reflexo.

Pablo Neruda " . Mell

Jacques disse...

Belo texto, Bento.
Se o amor tivesse sentido e pudesse ser controlado, não teria a menor graça.
Valeu.

Ricardo Sampaio disse...

http://vidareal-comoeumudodecanal.blogspot.com/


Fala Bento...


Com sua permissão...