quarta-feira, 13 de julho de 2011

O AMOR MORREU.

-


Amar o passado não quer dizer que ama o presente e o futuro. Ama-se pelo que viveu e não pode revivê-lo, ama o que tinha e não tem mais, depois que acabou nunca mais será como antes, acabou e pronto.

Não tem remédio, tudo mudou. Os dias, a estação, o ano mudaram junto com a personalidade e o sentimento, logo ama-se o que não existe.

Somos todos saudosistas de relações mal acabadas.

                             ***

Janio não conseguia se entregar a nenhum amor, comparava cada pedaço de pele de todas as mulheres que possuía com seu ex-amor. Das orelhas aos pés.

As lingeries, as meias, o sorriso e até as gengivas.

Carente decidiu fazer o que todo homem faz, tentar o maior numero de transas possíveis.

Cansou de tentar se entregar a alguém e já não fazia questão de sexo, de beijos, simplesmente parou. Parou de se esforçar.

Janio queria que o futuro fosse como o passado, sendo assim, não tem nem passado e nem futuro.

Por já saber que algo estava errado e não tinha nada que ele poderia fazer para mudar o destino passou a não fazer questão de flertar com nenhuma outra mulher, todas as suas relações partiam da iniciativa feminina.

Jânio não queria a responsabilidade de fazer promessas que ele não poderia cumprir.


Bento.

-

Um comentário:

Mila Napolitano disse...

Boa parte disso é só saudade, saudade de um tempo que nem volta mais.

Muitas vezes relembramos e vemos que na verdade acabou MESMO, sentimos falta, se tentamos voltar, não daria certo.

http://ummundoquaseparticular.blogspot.com